terça-feira, 8 de março de 2011

CONTOS DE OUTRORA

Como poderia eu contar uma história de um momento em que não vivi?
Mas minha missão foi designada e minha vontade não é relevante.
O que sei, é apenas o que todos sabem. Ou assim eu imaginei que seria...
Pra minha infelicidade é claro!
O que lhes revelarei aqui são fatos verídicos, ao qual colocam minha cabeça a prêmio. Porém, não acho justo deixar todos, e quando falo todos é tanto o ocaso quanto poente, que na verdade hoje não existem mais, ficarem na ignorância e alienação.
Acredito que devo esclarecer algumas coisas antes. Fatos históricos de homens e mulheres que deram suas vidas a algo maior que tudo.
Estamos agora na primeira Era do mundo. Pois depois dos fatos aqui apresentados, a contagem se reiniciou. E aquele mundo ao qual você certamente ouviu falar, onde ainda existiam muitos reinos, Reis, élfos e fadas e ainda fadas caídas e bruxas. Não existe mais.
Digamos numa forma sucinta, que houve drásticas mudanças tanto na politica, cultura e geografia de Nova Ether. E isso se deu desde que eles chegaram.
Vamos agora voltar no tempo e espaço, onde ainda vivia uma garotinha chamada Ariane Narim, mais conhecida por todos como Chapeuzinho Vermelho. Acredito que vocês se lembrem como ela conseguia atingir projeções e planos eterianos ao qual uma porcentagem exorbitante das pessoas que existiram, que existem ou que virá a existir, nunca conseguiriam atingir.
Pois bem...
Essa garota foi a responsável por toda a desgraça e destruição ao qual Nova Ether foi submetida. Subvertida em fogo e água, deixando até mesmo um Criador em desespero.
Nessa Era, quase todos daqueles heróis de que todos sempre ouviram falar nas histórias dos bardos, ainda estavam vivos. Os irmãos João e Maria, O Rei e rainha Anísio e Branca-de-Neve Brandford. E repare que nesta Era atual rainha voltou a se escrever com erre minúsculo. Hobbin Wood e Peter Pan,
Em fim, esses heróis e muitos outros, haviam sido provados pelas fadas, e assim o destino do mundo seguia seu curso de acordo com a vontade do criador. Até aquilo acontecer.
Ariane Narim, já havia se acostumado a sair de sua casca sempre que quisesse. Mas o que nunca lhe foi revelado, e quando descobriu já era tarde demais, era que, sempre que deixava sua casca, essa atingia uma energia muito elevada de éter, e assim, poderia ser usada como uma espécie de portal entre os mundos de éter de outros criadores.
Quando Ariane Narim descobriu já era tarde demais.
Ela não poderia voltar a sua casca, pois essa já estava ocupada por ele.
Seu nome era Darkseide, um dos mais terríveis seres que já existiu em qualquer plano eteriano conhecido ou não. Ele sentia as emoções humanas e conseguia distorcê-las, fazendo o coração das pessoas, se este não fosse puro, cair em densas trevas.
Assim ele envenenou a mente de muitos, tomando seguidores aqui e acolá, por todos os reinos e línguas.
E foi naquele dia ínfimo e maculado, e que todos o reconhecem por: Armagedom. Que o mundo caiu definitivamente.
Usando a tecnologia criada em Labuta e unindo com as magias negra e branca, conhecidas no ocaso. Esse ser criou um portal de éter, que abriu uma ruptura entre os mundos de éter, permitindo que qualquer um, de qualquer mundo entrasse no plano de Nova Ether.
Mas que ninguém saísse.

Nesse dia, bardos podiam jurar que caiu sangue do céu, como se o próprio planeta chorasse pela desgraça e infortúnio que estava destinado. Nesse dia a guerra do Armagedom deu-se inicio.
Seres fantásticos começaram a invadir Nova Ether por todos os lados, ali eles formavam grupos e combatiam um ao outro como se fossem rivais antigos. E talvez fossem mesmo.
Os mais conhecidos foram:
Uma legião de nome: Justiceiros, um homem careca de nome Lex Luthor. Milhares de seres horrendos e pegajosos chamados de orcs, liderados por um senhor do escuro de nome Melkor.
Se as “visitas” tivessem parado por ai, até que poderia haver uma hipótese mínima, de que, o mundo não estaria condenado. Mas muito mais vieram. Todos com poderes fantásticos e caráter distorcido.
Quando tudo já estava perdido, os élfos do Nunca invocaram forças maiores que os próprio Devas, chamados de Ainur. Estes tinham o poder de moldar a geografia do mundo através de temas de suas canções.
Eles lutaram bravamente contra os intrusos, quando numa última marcha através das terras mortas, o avatar de Bruja invocou através de magia negra, deuses antigos Hades, Poseidom, Abel, e alguns menores chamados de Titãs.
Até as fadas lutaram juntos dos heróis de Nova Ether, numa guerra terrível.

Depois destes acontecimentos pouco encontrei que se encaixasse na linha cronológica dos fatos. E até mesmo os bardos não entendem perfeitamente porque aquilo aconteceu, ou de onde veio aquele poder imenso.
Mas foi no final da quarta Era, que de Pearl Harbor, um dos portos de Labuta. Foi disparada uma nova tecnologia criada em segredo por Rumpelstichen, através do conhecimento dos gênios. Deram-lhe o nome de Míssil nuclear.
A destruição foi tamanha. Muito do que existia já havia sido destruído. Muitos heróis e vilões já estavam mortos. E até mesmo as fadas, ao qual eram imortais, na teoria humana, foram destruídas pelos grandes deuses do passado. Mas quase nada sobreviveu ao poder destrutivo daqueles milhares de mísseis nucleares, alterados com magia vermelha e branca.
E você deve estar se perguntando como eu estou aqui contando esta história para você, se o mundo inteiro foi destruído por poderes tais ao qual nunca mais voltarão a existir. Não está?
A questão é que, uma enorme arca fora construída em segredo, e nela fora colocado um casal de cada espécie de animal, e também uma espécie de cada planta. Ali apenas humanos tiveram a oportunidade de embarcar. Nem os próprios gnomos engenheiros quiseram essa nova oportunidade de sobrevivência. Essa segunda chance de vida.
Naquele dia, a enorme embarcação se elevou aos céus, e, após a tecnologia ter sido lançada no planeta, destruindo tudo e a todos, uma ultima magia foi lançada inundando o mundo de água. Uma quantidade exorbitante e nunca imaginável. O nível de água quase chegou a atingir as nuvens, e demorou quarenta dias e quarenta noites para o mesmo abaixar por completo.
Depois disso, as plantas foram inseridas novamente a terra, os animais foram soltos e uma nova Era deu-se inicio. Uma oportunidade única do Criador aos homens para que eles pudessem recomeçar.
E um acordo foi feito naquele dia entre Noé e o próprio Criador. Que nunca mais o mundo seria destruído em água ou fogo. E do novo pacto um enorme arco-íris se formou no céu. O primeiro de muitos arco-íris que aquela terra veria.
Naquele dia, nunca mais se veria, magia. Nunca mais se veria gigantes. Nunca mais se veria fadas nem élfos. O éter foi esquecido, e o mundo se tornou completamente humano.
E os humanos que sobreviveram, omitiram por algum motivo aqueles acontecimentos das eras futuras, e apenas falavam que um enorme meteoro caiu sobre o mundo, destruindo enormes animais chamados de dinossauros.
O planeta mudou...
E um novo nome foi dado a ele.
Eles o chamaram simplesmente de Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares