quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

[RESENHA] - Cisne



INFORMAÇÕES:
Edição: 1
Editora: Dracaena
ISBN: 9788582180372
Ano: 2012
Páginas: 832

Skoob: [LINK AQUI]











Sinopse:
Ninguém sabe exatamente quais são os critérios de seleção da Escola Avançada de Champ-Bleux, mas não há como discutir sua eficácia. Seus exames de ingresso não erram nunca! Entre milhares de candidatos de todos os pontos da Terra, apenas duzentos e cinquenta são escolhidos a cada semestre. E, num mundo onde ser cientista é o maior status que alguém pode desejar, a Escola Avançada de Champ-Bleux forma aqueles que são disputados a peso de ouro. Doris e Henry Melbourne são cientistas formados por Champ-Bleux. Aparentemente, são biólogos marinhos. Aparentemente, suas vidas se centram no Cisne, barco de pesquisas onde moram com os filhos. E, também aparentemente, são terráqueos... Seus filhos acreditam em todas essas aparências – ao menos por enquanto. Seguindo os passos dos pais, os jovens Melbourne fizeram os exames de ingresso para Champ-Bleux. Enquanto, cheios de expectativa, aguardam os resultados para saber se ao menos um deles entrou na Escola Avançada, veem-se envolvidos numa questão diplomática entre Terra e Tarilian, o único outro mundo habitado que os terráqueos conhecem. Inesperadamente, o futuro das relações entre os dois mundos vai ser decidido em um barco no meio do oceano! Mal sabem eles que isso é apenas o começo... Logo precisarão decidir pela Terra inteira!



***

Há quem diga que nada pode ser criado, tudo apenas se transforma, que apenas podemos moldar o existente. Em partes eu concordo com essa forma de pensamento; afinal essa é a base da nossa ciência atual.


A cada ano que se passa vemos inúmeros títulos sendo lançados. Milhares de mundos e histórias chegando aos olhos dos leitores. Dessas tantas histórias podemos conceituar poucas como únicas.

Temos o que intitulamos de “base”, essas são histórias criadas e que serão referência para muitas outras. E as “outras”, também podem ser ótimas, mas não deixam de estar carregadas de macros das “bases”.


Há também aquelas que nascem como uma macro, mas que se auto intitula única. Diria que são uma espécie de “histórias mutantes”. Vem de precedentes, mas permanecem com seus “genes diferentes” das originais.


É exatamente assim que nomeei Cisne.


Hertzog não criou conceitos totalmente novos. Mas ela conseguiu deixar sua marca como única através de sua narrativa muito bem escrita e com novas transformações. A história de Cisne se passa aqui na Terra mesmo. A humanidade descobriu um novo mundo existente atrás do sol, um mundo que até então nunca tínhamos ouvido falar: Tarilian. Para tentar diminuir a discrepância tecnológica existente entre os dois mundos, a Terra se empenha em sua ciência e a partir disso, ser um cientista é o maior status que alguém pode alcançar.

Nessa Terra, o mundo mudou. Não há mais poluição, A pobreza não existe e as doenças mais sérias que o homem estaria exposto podem ser curadas e o mundo fala uma língua única o solar. Nossa história começa com a Família Melbourne, um casal de cientistas que tem oito (sim oito) filhos e que vivem em um barco de pesquisa marítima. Mas não fique apenas no superficial dos números, os meninos são altamente inteligentes e hiperativos, o que poderíamos dobrar os valores facilmente.


Hertzog nos leva em uma história extasiante, através de sua narrativa fácil e muito fluente com uma escrita impecável e inteligente. Nos primeiros dois capítulos você já traça facilmente sua obviedade, isso para apenas se frustrar futuramente, fazendo perceber que você traçou em sua mente o que se passaria em meses, e a autora nos revela o conteúdo das semanas.


Hertzog investe pesadamente em diálogos inteligentes cheios de sentidos, tece a trama como uma mulher tece um cobertor pesado para o inverno, e quando você chega ao final do livro, descobre que conheceu apenas a primeira peça do enxoval. 


Astronautas, palácios submersos, Casas poderosas, Terra X Tarilian; você se vê em meio a um verdadeiro impasse diplomático que, com apenas um único espirro seja de que lado for, tudo estará perdido.

A autora explora pontos interessantes da mente de seus personagens. Peggy a filha adotiva dos doutores Melbourne se revela um dos personagens mais intrigantes e fortes da saga. Aos poucos a autora vai revelando toda a verdade sobre ela (verdade essa que nem ela própria tem conhecimento), o que nos faz querer saber mais a cada página. Garanto que quando vocês conhecer Senira através de Peggy vocês entederão do que estou falando.


Senti falta de alguns marcadores durante a leitura. Em algumas partes tive dificuldade em reconhecer quem estava falando. Perde ponto também por não explorar mais a descrição dos lugares onde ela acontece. Senti falta dessas descrições de ambiente. A Terra mudou tanto, porém não deu pra perceber quanto ela mudou. Talvez seria interessante dar pelo menos uma pincelada nesse quesito no primeiro livro, mesmo que haja uma exploração nos volumes posteriores.


Quanto à gramática, Cisne foi altamente revisado. Não sei se esse mérito deva ir para a editora ou para a autora, mas encontrei apenas UM único erro e foi um erro tonto que poderia passar facilmente despercebido. Alguns pequenos detalhes de pontos de vista como observação me tiraram um pouco a concentração mas nada que influenciou demais na leitura.

Cisne não chega a ser uma leitura Densa. A autora consegue quebrar essa "carga" com seus diálogos cheios de bom humor. Seus personagens se encarregam disso e fazem com perfeição todo o trabalho, principalmente Tim, um dos filhos dos Melbourne que se tornou meu personagem favorito.

A autora ao contar sua história, nos mostras como que nossas vidas está conectada em pontos que, muitas vezes não percebemos, e que os acontecimentos do mundo muitas vezes nos envolve muito mais do que podemos imaginar. Além disso, Hertzog nos mostra como é uma família de verdade. Os Melbourne podem ter seus segredos e intrigas, mas são uma família muito bem estruturada. Ela nos ensina como podemos e devemos confiar uns nos outros. Além de falar também dos laços que constroi a amizade. Confesso que a autora me fez analisar um pouco de meus próprios laços de amizade através de sua personagem Peggy, que não pensa duas vezes em ajudar a pessoa mais proxima que ela considera: Peter.

E assim a autora constrói sua trama. Cisne pra mim foi a melhor escolha de leitura para 2013. Considero que entrei com o pé direito no ano e ele vai para o Top 6. A não ser que haja outras 6 obras melhores que sejam lançadas até lá. 

Mesmo tendo algumas falhas quanto a sua construção eu darei nota 5 para a obra Cisne, pois é um projeto que se encontra bem acima da média apresentada no meio literário. Hertzog me impressionou pela qualidade de sua escrita oferecendo uma leitura, dinâmica, inteligente e muitas vezes engraçada.




Critérios de Avaliação:


a) Arte da Capa:

A Capa de Cisne gerou uma longa conversa com a autora. A Capa é obra de Anelise Hertzog, Rafael Krás e César Oliveira. Muito bem desenhada ela nos traz cores vivas, bem diferentes, como a própria autora diz, da maioria dos livros que vemos e que possui em sua essência o fundo preto. Mas mesmo assim achei que a obra criada é muito mais que a capa possa revelar.




b) Trama:

Hertzog construiu uma trama altamente complexa. Ela lida com tantas ramificações de conceitos, fatos e conflitos que me deixou bobo por tanto controle. No entanto em algumas partes senti que precisava de algumas explicações antecipadas, até perceber que era exatamente isso que a autora queria que eu sentisse. Ela nos deixa algumas vezes às sombras, com especulações e teses possíveis, para depois no final nos revelar TUDO o que ela havia planejado. Alguns dessas explicações acredito que seriam melhor aproveitadas se  fossem antecipadas, até ajudariam o leitor com a história. Outras realmente TINHA que ser deixados para o final. O Timing da leitura corre com uma rapidez extraordinária mais ou menos até a página 600, depois essa fluência decai um pouco. Mas mesmo com essas irregularidades a trama se mantêm forte,




C) Caracterização dos Personagens:

Um dos pontos mais altos do Cisne é seus personagens. São construídos como se fossem verdadeiros.Foram muito bem desenvolvidos e sua interatividade, principalmente os filhos dos Melbourne, foram muito bem elaboradas. Eles que dão toda a descontração à obra. Cada personagem em Cisne é único. Todos possui seu grau de importância para a trama e ela consegue explorar a capacidade de todos durante os acontecimentos.



D) Qualidade do Livro (Papel, Letra, erros, etc.):

A diagramação da obra é altamente adequada à leitura. Possui folhas amarelas quase sem poros. O livro foi publicado pela editora Dracaena, possui 832 páginas e já vem com o novo acordo ortográfico. A editora acertou em quase tudo, tirando a qualidade do papel da capa. Um livro grande desse jeito deveria ser oferecido uma maior atenção quanto ao seu acabamento e ganhar uma capa mais resistente. Foi um dos poucos livros que considerei a sinopse relevantemente boa, mas mesmo assim pode ser melhorada.



e) Comparação com outras obras do gênero:

A História de Cisne vai muito além do esperado. É uma história que impressiona, e que segue caminhos próprios. Mas não se torna um diferencial por ser apenas uma boa história, mas sim por ser altamente bem escrita e bem moldada. A inteligência que ela caminha é de se destacar entre as obras nacionais publicadas.


NOTA: 5




Licença Creative Commons
Resenha Cisne de Moisés Suhet é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://edensaga.blogspot.com.br.

14 comentários:

  1. Adoro livros de fantasia, e gostei muito do livro trazer vários mundos, universos ampliados e uma história bastante emocionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OPi Viviane... essa pegada da Eleonor é muito boa.. vc vai gostar..

      Excluir
  2. Oi, Moisés
    Obrigada pela maravilhosa resenha. São opiniões como as tuas que fazem a gente tomar um longo fôlego, erguer a cabeça e seguir em frente!
    Beijos,
    Eleonor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi eleonor...
      Prazer enorme ter você aqui....
      Que isso querida... apenas aprecio o que é bom...
      e sua obra é muito boa...

      Excluir
  3. Depois de uma resenha dessa, eu certamente vou querer ler o livro. A capa dele é muito bonita. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  4. Conheci o livro hoje! Li uma resenha em outro blog, mas não me cativou muito, mas esta resenha me vez pensar muito melhor! Vou ler sim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Mah.... que bom que gostou da minha resenha...
      Com certeza será uma leitura Esplêndida.

      Excluir
  5. Faz um tempinho já que estou querendo ler esse livro, fiquei com mais vontade agora, depois dessa resenha, não vejo a hora de poder ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Andy... quem sabe não é você quem ganha....

      Excluir
  6. Foi um livro que não em atraiu na primeira olhada mas confesso que fiquei muito curiosa após a sua resenha.
    E como é grande!
    Mais de 800 pags!
    A capa com certeza não revela nada sobre o conteúdo que me surpreendeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dri...
      Vale a pena cada página lida...
      Não é atoa que eu o coloquei na seleção do Top 6 do ano..

      Excluir
  7. Gosto muito de histórias com esses ingredientes que a autora usou, e pelo jeito, muito bem. Só me assustei um pouco com o tamanho do livro. 832 páginas?!?! Rsrsr Mas pelo que percebi, a narrativa é tão ágil e rica, que esse fato passa despercebido. Espero ter a oportunidade de ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Resenha belíssima onde encontram-se poucos blogs com uma resenha tão completa.

    Acho a analise da capa e a qualidade do livro muito importante para se comentar, pois compro muitos livros por estes detalhes. Sobre o enredo, ficquei muito curioso e ansioso pelo livro... =P

    ResponderExcluir

Postagens populares