quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Quero ser Beth Levitt - [Primeiras impressões]

Há algumas semanas atrás, a escritora Samanta Holtz [O pássaro], lançou uma postagem em seu blog com uma proposta: Tirar uma foto com o exemplar de O Pássaro e mandar para ela por email. Todas as fotos enviadas ela colocou no site e fez uma votação para a galera toda decidir qual foto era a mais bonita. O Concurso foi um sucesso e a Samanta disse que estourou os limites de inscrição no Google Docs. Então por ai você já pode ver como foi o concurso.

No final do concurso não ganhei, mas já era de esperar, (Eu nunca ganho nada mesmo- Azar está na pele gente.), mas então...A Samanta, muito gente boa, decidiu presentear todos os participantes com os 5 primeiros capítulos de seu mais novo livro: Quero ser Beth Levitt. E hoje eu estou aqui não para fazer uma resenha, pois é impossível fazer isso com apenas 5 capítulos, mas para fazer um breve comentário do que eu achei do livro.



Sinopse:
Amelie Wood é uma jovem bailarina que perdeu os pais aos doze anos e, desde então, vive em um abrigo de meninas. A história começa em seu décimo oitavo aniversário, quando ela está deixando o lugar onde viveu por toda a adolescência para enfrentar o mundo e buscar seus sonhos. Tudo o que ela tem em mãos é o velho exemplar do romance que sua mãe lia para ela, quando criança. "Doce Acaso" contava a história de Beth Levitt, uma jovem que, como ela, amava o ballet e, de uma hora para outra, via a vida mudar ao conhecer o príncipe Edward. Amie suspira ao ler e reler incansavelmente aquelas páginas, imaginando quando o seu príncipe da vida real aparecerá em sua porta... Por isso, ao soprar suas velinhas, ela não tem dúvidas quanto ao seu pedido: "Quero ser Beth Levitt!" Através de grandes coincidências e uma trajetória que ela jamais imaginaria, Amie de repente se vê diante do maravilhoso mundo das celebridades, cara a cara com o príncipe mais lindo que ela sonharia ver um dia e lutando para se esquivar da maldade de muita gente invejosa.



Eu não tinha lido O pássaro, pois só consegui meu exemplar na Bienal do Livro aqui de São Paulo esse ano. Então comecei a ler Quero Ser Beth Levitt ontem a noite.
Já fazia algumas semanas que ele estava guardado em minha caixa de emails, e até peço desculpas à Samanta por demorar tanto. ( então se for assim tenho que pedir desculpas pra..... e tambéns pros...) Ah deixa pra lá. srsrsrsr.




Quero ser Beth Levitt literalmente me deu a impressão 
de estar vendo aqueles filmes de Hollywood no estilo de A nova Cinderela 
com Hilary Duff. Uma história agradável e com a poesia dos contos de 
fadas inseridas em suas entrelinhas.



Pelo nome e pela sinopse no Skoob (Odeio sinopses), confesso que achei que seria algo bem meloso e pra minininhas. Ainda mais depois de ver a capa (ainda provisória), mas vi pontos positivos na escrita de Samanta. Ela foca bem nas situações e conflitios de sua personagem principal, e deixa de lado aquela melação sem tamanho que vemos em muitos livros do gênero.

Não digo que esses livros são ruins, ok? Não me apedregem quem gosta, mas não é o meu estilo.
Samanta constroi Amie, uma personagem que aparentemente tem potencial, mas tudo isso está inicialmente reprimido dentro dela. E em meio ao inicio dos conflitos, você não sabe se sente pena dela ou se dá risada (por ela não saber o que é um currícullum e paga o maior mico quando vai em busca do primeiro emprego).




Desde o primeiro instante de leitura, a imagem de amie em minha mente atrelou-se à Anne Hathaway (O diabo veste Prada). Como eu já falei pra vocês minha mente é muito fértil, e nada me segura quando eu encasqueto (é assim que se escreve essa palavra?) com alguma coisa. Mas pra mim Amie é a Anne descrita e espirrada.

Outra personagem no ínicio da história (claro que é o início né, você só tem os 5 primeiros capítulos. Queria que fosse o final? - O_O), é Anita, a até então advogada da família de Amie. eu desconfiei muito dela. Pensei comigo: Essa mulher é muito estranha. Mas conforme a leitura foi seguindo eu acabei até que gostando dela. E lógico não poderia não falar como ela é. Pra mim? É a Maria Fernanda Candido, um pouco mais velha.


Essas comparações com atores ou modelos, ou seja com quem for, não são por escolha própria... as vezes vem na mente e não sai nem por reza brava. Um dia, eu encasquetei que minha vizinha parecia uma personagem principal de um livro, e eu li ele todo tendo ela como modelo de minha imaginação para aquela personagem.

Não tem como dar uma nota para a obra de Samanta pelo pouco material que tive em mãos. A escrita da autora é muito boa. Impecável quanto aos erros (não encontrei nenhum). A leitura fluiu de uma forma muito leve e gostosa.

Espero que saia logo Samanta, pois agora eu quero terminar minha leitura né?  srsrsr

Parabéns por mais esse novo livro concluido















2 comentários:

  1. Olá, Moises :)

    Que legal!!! O primeiro a publicar suas impressões sobre os primeiros capítulos de Quero Ser Beth Levitt!

    Adorei saber como a história se formou em sua imaginação, as atrizes que viraram assimilação para as personagens (amei suas escolhas! Confesso que não havia pensado nelas!!!) e como a narrativa soou para você! Realmente, não faz meu gênero escrever histórias "melosas", o que foi um desafio particular no começo de Quero Ser Beth Levitt que, como você pôde constatar, apresenta o drama de Amie - ponto a partir do qual ela só irá evoluir!! Mas tomei o cuidado de não tornar a trama dramática no início, e fico feliz por, pelo seu ponto de visto, ter conseguido ^^


    Um forte abraço e obrigada pelo apoio de sempre!!!

    Samanta Holtz

    ResponderExcluir
  2. Nossa!! Muito bom! Samanta produzindo bastante!

    ResponderExcluir

Postagens populares