sexta-feira, 1 de junho de 2012

O vôo da estirpe - Caminhos para a libertação

 Olá pessoal!

Visitando os blogs e os sites das editoras hoje eu me deparo com esse livro.

Encontrei ele no blog da editora Modo [LINK] e achei muito legal.

Foi escrito pela autora nacional Adriana Vargas de Aguiar e várias pessoas falaram muito bem dele.


Após a sinopse vocês poderão conferir o prefácil escrito pela professora Bia Machado para o blog da editora Modo.

 Link Skoob: [LINK]






Sinopse:
Um encontro entre a vida e a morte, e entre os dois pólos, a presença milagrosa do amor - tudo passa a fazer sentido... Clarice, solitária e questionadora, conhece Klaus através de um pesadelo. De repente, ele passa a persegui-la em todos os lugares, denotando ao livro, um cunho de mistério e sensações intrigantes. Um livro rico em sentimentos que fará o leitor rir, chorar, suspirar e odiar durante toda a leitura. Uma afronta aos conservadores. Uma luz no final do túnel! Este é o primeiro livro da série – O Voo da Estirpe.

Confiram agora o que a professora, escritora e revisora Bia Machado escreveu em seu prefácil.


"Foi com grande alegria que recebi o convite da escritora Adriana Vargas de Aguiar para prefaciar essa obra. Primeiro, por ter feito a revisão de seu texto. 
Depois, por ter ficado impressionada com a força de suas palavras. Como cheguei a afirmar à autora, fazia tempo que não me deparava com um romance moderno, tão forte e tão apaixonado. Antes de terminá-lo, Adriana chegou a perder seu manuscrito, tendo que reescrevê-lo de memória. Que bom que conseguiu, o esforço valeu completamente.
Em “O Voo da Estirpe” não poderão ser encontradas personalidades frágeis. Cada um dos envolvidos na trama parece ter sido moldado a ferro e fogo, principalmente Clarice. Não há personagens perfeitos, cada um merece atenção justamente por seus defeitos que os fazem tão humanos, tão reais. 
É fácil se apaixonar por caracteres moldados para conquistar o leitor, mas o que envolve na história escrita por Adriana é justamente o contrário: Klaus e Clarice são reais demais, poderiam ser o casal do apartamento ao lado, da casa da esquina, com seus problemas e dramas pessoais. 
E é isso que envolve quem acompanha a história. 
Klaus não é o homem perfeito, parecendo ter saído dos livros onde sempre há um “viveram felizes para sempre” no final. É aquele que conquistou Clarice ao seu modo, muitas vezes estranho de ser, muitas vezes incoerente, porém fiel às suas incoerências, pois foi movido por uma paixão sincera e lutou por ela até o último instante. E além.
Tudo em Clarice é intenso: com suas vontades, seus medos e o amor que sente por Klaus, parece saída de um roteiro de Almodóvar. Não há meio termo, não há entrega parcial, pela metade. Clarice se doa completamente ao seu amado, sem reservas.
Portanto, só posso desejar uma ótima leitura a todos aqueles que se aventurarem a fazer o voo da estirpe, assim como Klaus e Clarice fizeram, sem medo do que estava por vir. Talvez você se pergunte, ao ler o título da obra: “mas afinal, que voo é esse?” 
Pense em algo capaz de romper com tudo que possa dizer que algo é impossível e que, segundo Adriana Vargas, possui forças especiais, capazes de traduzir o belo e o incomum. É esse voo que somos convidados a fazer, ao conhecermos a história deste romance. "

 Prefácil retirado do blog da editora MODO, com direitos autorais exclusivos à Bia Machado. Maiores informações acesse o blog da editora.

Licença Creative Commons
O vôo da estirpe - Caminhos para a libertação de Moisés Suhet é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://edensaga.blogspot.com.br/.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares