segunda-feira, 8 de abril de 2013

[RESENHA] - Silêncio


Informações: 
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580571318
Ano: 2012
Páginas: 301
Tradutor: Débora Isidoro




Sinopse: Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo. “O relacionamento tempestuoso entre Nora e Patch, o típico bad-boy, é verdadeira e perturbadoramente sedutor. 





Silêncio é o terceiro livro da série Hush Hush da autora Becca Fitzpatrick. Para quem não leu Sussurro ou Crescendo, talvez não entenda alguns comentários feitos durante esta resenha. Ou pode ser que estes comentários aumentem seu interesse pela série (ou não). Lembrando que a resenha pode conter spoilers por ser uma série. 

Depois de ficar desaparecida por semanas, Nora Grey acorda em um cemitério sem se lembrar de nada que ocorreu nos últimos cinco meses e muito menos de como ela foi parar lá. Mesmo assustada e confusa, a vida continua, portanto a jovem tenta retomar sua velha rotina, só que ela não esperava ter que aprender a lidar com algo inesperado: o namoro de sua mãe. 

Mas isso é o de menos quando comparado às situações estranhas que começam acontecer. Além de ter que lutar contra a sua falta de memória, Nora vem sendo assombrada por pensamentos esquisitos, relacionados com a cor preta, que surgem inesperadamente. Sem contar com as alucinações, seres sobrenaturais e sonhos com anjos. E nada disso, aparentemente, tem a ver com sua vida antes do seu sumiço. 

De repente, Nora tem seu caminho cruzado com um cara misterioso, que a atrai instantaneamente. Alguém capaz de mexer com seus sentimentos e emoções, como se ele tivesse um elo muito forte com ela. Mas parece que não é só isso, Nora sente como se esse desconhecido pudesse dar todas as respostas que ela busca em relação ao seu desaparecimento e a sua perda de memória. E a cada momento ao seu lado, ela sente que está no caminho certo, até que percebe que pode estar apaixonada. Novamente. 

O ponto forte é que vamos redescobrindo toda a estória e todos os acontecimentos dos livros anteriores juntamente com Nora. Isto é ótimo para quem esqueceu alguns detalhes da história, e a autora soube dosar tudo na medida certa, para que a mesma não se tornasse chata. Muito pelo contrário, este foi o detalhe que deu um up na narrativa. 

Outro detalhe (que não é um detalhe, convenhamos) é Patch (agora conhecido como Jev). Sinceramente, Hush Hush não seria nada sem ele. Neste terceiro livro, Patch está ainda mais envolvente, e como não poderia deixar de ser, amarra os acontecimentos de forma magnifica. Ele é quem ajuda Nora a recuperar sua memória, e o modo como seu relacionamento é redescoberto é... Digamos... Muito fofo! 

Os personagens continuam me agradando bastante. Vee está na fase: “Odeio homens, eles só querem te usar”. A mesma de sempre, engraçada e divertida, mas aqui, ela também mostrou seu lado sério, que eu, e talvez a torcida do Flamengo, não conhecia, para aconselhar sua amiga. Marcie começa a tentar se aproximar de Nora, e conhecendo ela, dá para imaginar que coisa boa não vem por aí. Patch está mais irresistível e encantador do que nunca. Em Crescendo eu não gostei muito das atitudes dele, mas já o perdoei. Nora parece que adora bater de frente com o perigo, e isso me irritou em certos momentos, mas tirando isso, a considero uma protagonista agradável, pois ela passa longe de ser uma garota totalmente frágil e boba. Outros personagens interessantes reaparecem na série, além de desempenharem importantes papéis. E os vilões ganham destaque, em especial, Hank Millar, que cumpre muito bem o seu papel. Ele é a perfeita personificação do "lobo em pele de cordeiro". Sua maldade é palpável, e torna a história muito mais interessante. 

Silêncio em momento algum dá chances à monotonia. Quanto mais progresso há na história, mas vontade de desvendar os mistérios e viver os acontecimentos. O livro traz uma avalanche de emoções. Enquanto Nora sofre por conta da sua amnésia, sofremos juntos, e quando ela consegue redescobrir sua vida, vibramos por sua vitória. 

Após a leitura de Crescendo, fiquei muito ansiosa para saber como a Becca iria resolver as questões que ficaram em aberto, principalmente o fato de ela ter transformado a Nora em uma personagem mais chatinha e Silêncio acabou me surpreendendo! 

É impossível não se envolver pela intrincada trama sobrenatural criada por Becca Fitzpatrick. É impossível não se questionar qual o próximo caminho a ser percorrido e o que aguarda Patch e Nora em “Finale”, o último volume da série. Hush hush com certeza está em uma ótima posição na lista das melhores séries contemporâneas, e provavelmente continuará ocupando cada vez mais espaço entre os leitores. 



Critérios de Avaliação 



a) Arte da Capa: 
Dessa vez Samantha Ruggiero e Drew Doyon estão juntos numa pose que ilustra bem o clima de Silêncio. Afinal, Patch ajuda Nora em diversas situações e resgata sua memória. As ondas quebrando com fúria podem muito bem representar os problemas e as confusões pelas quais Nora passa. É uma das capas mais bonitas da série. 



b) Trama: 
Dessa vez Becca diminuiu um pouco o ritmo, criando um mistério para sua protagonista ao retirar sua memória. Isso alavancou o dinamismo e a interação com o leitor, pois mesmo sabendo de tudo o que já aconteceu na serie, quem lê acaba redescobrindo tudo junto a Nora e ao final mais revelações acabam dando o gancho perfeito para o que promete ser um ótimo final de série. 



c) Caracterização das Personagens: 
A autora permanece trabalhando bem com os sentimentos de seus personagens. Nora continua mais chatinha, mas dá-se um desconto por ela ter que redescobrir tudo o que aconteceu. Patch voltou mais para a essência do bad boy, o que com certeza fez muitas leitores suspirarem de alegria. Vee mostrou um outro lado, chamando mais atenção pro seu lado sério. 



d) Qualidade do Livro (papel, letra, erros, etc.): 
O papel é amarelado opaco, meio poroso, passando algo de antigo. A diagramação está linda, com letras médias e bom espaçamento. A capitulação com uma letra gótica permanece, reforçando a ideia de manuscrito antigo. As páginas há penas negras voando diminuíram ainda mais. A revisão está muito boa, passando apenas um ou outro errinho de digitação que apenas os mais atentos perceberão. 



e) Comparação com outras obras do gênero: 
Silêncio se afasta um pouco da trama central, funcionando como uma retrospectiva antes de avançar para a etapa final da historia. Assim como os seus antecessores, o livro não aborda o lado bom ou mal dos anjos caídos e Nefilins, mas sim, sua disputa entre a aqueles que querem sentir sensações físicas e aqueles que querem ter seus corpos livres das possessões cruéis, deixando livre para o leitor escolher que lado defender. 


Nota: 4,5 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares