segunda-feira, 20 de maio de 2013

[RESENHA] - Jogos Criminais


Informações: 
Edição: 1
Editora: Andross
ISBN: 978-85-99267-48-6
Ano: 2011
Páginas: 192 
Skoob: [LINK AQUI]



Sinopse: Para o bem ou para o mal, a mente humana é capaz de realizar os mais notáveis feitos; o livre-arbítrio é sua arma mais perigosa. Assim, o que faz com que uma pessoa se volte para o crime? Quais mecanismos são acionados quando surge o desejo – ou a necessidade – de fazer algo imoral, amoral, ilegal? Quando a alma é o campo de batalha entre a ânsia, o medo e a culpa, o resultado é imprevisível. Em Jogos Criminais, as verdades da natureza humana serão expostas sob a ótica de uma máfia de escritores disposta a criar o crime perfeito. 




Essa antologia foi uma aquisição do ultimo Livros em Pauta, mais um daqueles eventos em que caio de paraquedas. Me animei em comprá-lo quando vi que se tratavam de contos policiais. Amo esse gênero, que me acompanha desde o primeiro livro que li, e depois de ver que alguns autores já conhecidos meus (como a Georgette Silen e o Sérgio Pereira Couto) faziam parte dessa seleção não pensei duas vezes em pegá-lo. 

Jogos Criminais – Contos Policiais é uma antologia composta por 34 contos escritos por 30 autores entre iniciantes e já iniciados que dão destaque a um dos gêneros de maior sucesso em várias épocas: o thriller policial. 

A apresentação do Sérgio Pereira Couto foi simplesmente magnifica, trazendo desde o primeiro crime (o do assassinato de Abel pela mãos do próprio irmão Abel) até os tempos atuais, tentando elucidar a mente humana e os motivos que levam a esses atos insanos. 

Antes de começar a ler os contos, como de costume, pulei para o final do livro para conferir a biografia dos autores envolvidos nessa antologia. Isso costuma me animar ainda mais com a leitura, afinal é interessante ver os contos de estreia de muitos ali, mas o que mais me deixou curiosa foi ver que havia um advogado entre os escritores, afinal o que um “homem da lei” pensa sobre esse tema? Isso atiçou ainda mais a minha curiosidade. 

Com relação aos contos, não posso deixar de dizer que houveram alguns em que não consegui enxergar o universo do crime, alguns até mesmo chegaram a me fazer rir, de tão absurda da ideia do autor sobre o tema. 

Outros em compensação valeram pelo livro inteiro. Valeram tanto que foi o que impulsionou a leitura, pois a vontade de achar outros assim era gigantesca. Entre esses o meu favorito é o “Lucius” da Georgette Silen. Sério, eu fiquei extasiada com essa leitura. A reviravolta desse conto me fez parar a leitura e me perguntar “Como assim?”, adoro essa sensação de choque com a surpresa. 

Outro conto que achei bem interessante foi “O Interrogatório do Estranho Menino” do Mário Bentes, achei bem interessante como ele conduziu e o final, que apenas de não ser impactante e de deixar de queixo caído, foi muito bem construído. 

“Preguiça: Pecado Capital, Virtude Excomunhal” do Leonardo do Carmo, “O Noivado” da Sandra Franzoso, “Sedução e Veneno” da Iza Calbo, “O Homicidio do Senhor X” do Ataíde Menezes e “A Marca do Dragão” de O. A. Secatto foram outros contos que muito me agradaram. 

E fechando essa antologia tem o conto “Jogos Criminais” do Sergio Pereira Couto, que assim como a apresentação trouxe uma parte mais psicológica do que leva o ser humano a virar um criminoso. 

Jogos Criminais – Contos Policiais é uma boa leitura para aqueles dias em que se quer mudar o gênero ou dar uma pausa entre uma aventura e outra ou mesmo pra quando se quer ter um vislumbre sobre a parte sombria dos seres humanos. 



Critérios De Avaliação: 



a) Arte da capa: 
A capa de Rafael Victor é bem interessante. A imagem de uma carta de baralho vertendo sangue num fundo totalmente escuro remete bem ao clima sombrio e misterioso dessa antologia. 


b) Trama: 
O enredo da maioria dos contos é muito bem trabalhado. Dá pra notar o trabalho de pesquisa que muitos ali tiveram. Alguns são bem intensos fazendo com que haja aquela vontade de que fosse uma historia mais longa, desenvolvida de um jeito mais detalhado, outros o impacto da narrativa rápida fortalece mais o suspense. 


c) Caracterização dos personagens: 
A graça dessa antologia está na diversidade de seus protagonistas. Afinal, o criminoso perfeito está onde você menos imagina, e os autores foram extremamente criativos nesse quesito. Em alguns contos realmente fiquei chocada ao ver quem era realmente o criminoso em questão. 


d) Qualidade do livro (papel, letra, erros, etc.): 
O livro tem uma qualidade ótima, as páginas são brancas, mesmo não sendo opaco não chega a incomodar durante a leitura. A revisão está muito boa. E a diagramação está realmente ótima com letras médias e bem espaço, o que permite uma leitura rápida e confortável. 


e) Comparação com outras obras do gênero: 
Jogos Criminais é uma mistura de todas as grandes obras do gênero policial e suspense. Impossível não se lembrar de Sherlock Holmes ou Hercule Poirot e tentar desvendar quem é o assassino antes do final de cada conto. E mesmo assim é uma obra original, com cenários contemporâneos e bem críveis. 


Nota: 3,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares