segunda-feira, 2 de setembro de 2013

[RESENHA]: Linhagens de Eleonor Hertzog



INFORMAÇÕES:
Edição: 1ª
Editora: LetraImpressa
ISBN: 9788566652031
Ano: 2013
Páginas: 700
Skoob: [LINK AQUI]



Atenção! 

Linhagens não é recomendado para leitores com problemas cardíacos. Alto risco de colapso dos vasos sanguíneos! Bem, não digam que não avisei, ok? Para quem acha que Linhagens vai começar como Cisne, devagar e num ritmo tranquilo, é melhor se preparar. A estória já inicia num tempo mais rápido que as pernas poderiam aguentar, cheia de mistérios e indagações. As páginas vão se virando sem percebermos. E a saudade de estar no mundo dos Melbourne vai logo sendo aplacada a cada diálogo e novo conflito que surgem; mas logo desponta novamente porque, à medida que o final se aproxima, o coração pede, urgentemente, que a autora publique o terceiro volume o mais rápido possível.

Já temos uma resenha desse mesmo livro feita pelo Moisés. E eu estou aqui pra fazer outra, porque, livro bom é assim mesmo: merece ser comentado e resenhado mais que uma vez!

Em Linhagens, a gente passa a conhecer mais profundamente aqueles personagens que aprendemos a gostar em Cisne. Conhecê-los assim de perto é se deparar não somente com o passado, mas significa também entrar em contato com as dores, tristezas, alegrias e desafios de cada um. É perceber que a personagem que amamos não é só feita de amor e alegria, pois a raiva, o arrependimento e tantos outros sentimentos também fazem parte daquilo que chamamos de humano. Muitas pessoas, frente aos acontecimentos que surgem, amadurecem nessa nova etapa.

Segredos envolvendo as Casas e Linhagens são revelados e explicados. E, claro, como não poderia ser diferente: mais mistérios surgem para atiçar a curiosidade do leitor. É tanta informação entrando que, às vezes, parece que iremos nos perder no meio delas. Mas, fique tranquilo, porque Eleonor sempre dá um jeito de te colocar no eixo novamente. E tem até um apêndice bem explicadinho para facilitar a vida e te localizar no meio desse mundo todo.

O mundo, aliás, o Universo dessa estória tem proporções para além do esperado. Quando eu achava que não poderia surgir mais nada, eis que Eleonor se supera e me surpreende. A estória funciona como uma boneca russa: quando você termina de abrir uma, logo já encontra outra. E depois outra, outra e mais outra. Não sei como a autora consegue se organizar no meio de tanta gente, tanto conflito, tanto sentimento e tanta fala!

É difícil dizer mais que isso sem revelar muito do enredo. Não quero estragar a surpresa e a delícia de vocês descobrirem cada passo da jornada das personagens. Há muitas cenas emocionantes, desde aquelas que te deixam morrendo de ódio até aquelas que te despertam o que há de melhor dentro de si. Tem outras que são tão engraçadas que a barriga dói de tanto rir. E em outros momentos, é difícil de segurar as lágrimas de dor e tristeza, pois é a única forma de expressar e lidar com aqueles acontecimentos.

Tenho a impressão de que, tudo o que eu li até agora no segundo volume, não é nem uma raspadinha do que vem pela frente. Cisne e Linhagens, junto, parece ser aquele tapete vermelho desenrolado para receber as celebridades. Pois é,  acho que a estória só está começando! 

A única coisa que não sei bem como fazer é como me referir a esse universo criado por Eleonor. Por exemplo, O Senhor dos Anéis se passa na Terra-Média; Dragões de Éter, em Nova Ether; e em Harry Potter, temos o Mundo dos Bruxos e o Mundo dos Trouxas. Sinto falta de poder nomear esse lugar onde se passam as aventuras dessas personagens. Seria o Mundo de Cisne? O Mundo das Linhagens? O Universo? É mais uma dúvida minha que um apontamento negativo. 

Vale cada minuto e segundo da vida. 
Leiam e sintam por vocês mesmos.



Critérios de Avaliação:

a) Arte da Capa: Gostei bastante! Diferente de Cisne, a capa de Linhagens traz um ar sombrio e de mistério. Assim, logo de cara, ela já dá indícios que os rumos dessa estória serão outros, com uma carga de sofrimento e escuridão um tanto maior que o primeiro volume. 

b) Trama: Muitos elogios. Eu realmente tento encontrar defeitos, mas eles insistem em não dar as caras. Eleonor sabe deixar a gente curiosa e sabe desenvolver cada parte da trama. Esta se ramifica para muitos lados, cada qual com sua peculiaridade e conflitos. E, o mais importante, ela não se perde e nem se confunde. Há muitos núcleos espalhados pelo enredo, deixando no ar a pergunta: onde afinal tudo isso vai dar?

c) Caracterização das Personagens: Como comentei na resenha, ocorre um aprofundamento e amadurecimento em muita gente. Gosto muito do jeito que Eleonor demostra isso: não somente pelas ações, como também pelas falas. Certa vez, comentei com a autora dessa predominância dos diálogos em sua obra. Ela me respondeu, mais ou menos assim: "A gente tem que deixar eles dizerem as coisas por eles mesmos!". 

d) Qualidade do Livro: Não tenho como avaliar este item, pois li em formato de manuscrito.

e) Comparação com Outras Obras do Gênero: Eu não gosto muito de comparar obras, porque cada uma é cada uma, por mais que se categorizem no mesmo gênero. Não sei com o que comparar Linhagens. Acho que é único em seu modo de ser e de se fazer falar por si, através dos diálogos de cada personagem. A linguagem é simples e fácil de se entender, mas nem por isso, deixa de ser inteligente, divertido e interessante.


Nota: 5


Licença Creative Commons
[RESENHA]: Linhagens de Eleonor Hertzog de Carolina Feng é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em http://edensaga.blogspot.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares